Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

A importância do uso de máscaras em Atividades Físicas ao ar livre

  • Publicado: Quarta, 10 de Junho de 2020, 13h06
  • Última atualização em Terça, 07 de Julho de 2020, 13h37

COVID 19 Preventive POR 14A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou na última sexta-feira (05/06), uma atualização sobre o uso de máscaras para controle do coronavírus. Trata-se de orientações sobre quem deve usar a máscara, quando utilizá-la, e quais os materiais ideais para a sua confecção.  A principal novidade em relação ao que já era recomendado, diz respeito às máscaras de tecido, feitas em casa ou compradas em lojas. A OMS aconselha que, agora, a máscara tenha pelo menos três camadas de tecidos diferentes para ser eficaz. É necessário que a camada externa seja de um tecido impermeável (como o poliéster); já a camada intermediária deve conter um material que atue como filtro de gotículas (tecido sintético); e a camada interna de um material absorvente, como o algodão.

Segundo a OMS, esta máscara de tecido triplo é recomendada para o público em geral. Quando as pessoas estão num ambiente público e o distanciamento físico de pelo menos um metro não pode ser cumprido, o uso dessa máscara impedirá que um infectado transmita a doença para outras pessoas. Além disso, a OMS ressaltou diversas vezes que, máscaras sozinhas não protegem ninguém da covid-19. O uso de máscara é uma medida paliativa, para uso em locais públicos, com aglomeração de pessoas, onde o distanciamento físico de pelo menos um metro não possa ser cumprido. Essa máscara deve ser adotada sempre em conjunto com os métodos de prevenção essenciais, como higienização das mãos e distanciamento físico.

E com relação ao uso de máscara durante a caminhada, corrida ou andar de bicicleta? Como isso afeta a respiração, desempenho e as chances de espalhar o coronavírus?

O uso da máscara tecido poderá dificultar a prática do exercício físico escolhido, pois atrapalha a captação de ar (oxigênio) e a saída de gás carbônico (CO2), o que consequentemente afetará no desempenho físico do praticante. Conforme aumentamos a intensidade do exercício, há a possibilidade de ocorrer alguma limitação na ingestão de ar, o que pode acarretar na diminuição da intensidade do movimento, uma vez que o praticante não realizará as trocas gasosas de forma eficiente. 

Pesquisas mostram que correr ou pedalar com uma máscara é diferente e muitas vezes uma experiência desagradável se comparados ao correr sem uma máscara. Lipman e col. (2015) e Bryanne e col. (2019), estudaram os efeitos do uso de máscaras especializadas (que restringem o fluxo de ar) em atletas em altitude. De acordo com o resultado destas pesquisas pode-se inferir que, as pessoas que se exercitam com uma máscara podem sentir alguma resistência à respiração dependendo da espessura do material da máscara. Além disso, o exercício com uma máscara facial criará um clima quente e úmido na região coberta e um aumento nas secreções nasais, o que pode causar desconforto. 

Logo, o uso prolongado de máscaras durante o exercício NÃO causa intoxicação por CO2. Segundo informações da OMS, o uso prolongado de máscaras é desconfortável, mas não causa intoxicação por CO2. Diante disso, a OMS recomenda que, enquanto usar uma máscara, verifique se ela se encaixa corretamente e se está firme o suficiente para permitir que você respire normalmente. Não reutilize uma máscara descartável e sempre troque a máscara de tecido quando estiver úmida.

Ainda não existe uma máscara adequada para ser utilizada durante a prática de exercícios físicos. A máscara de tecido, com o decorrer do exercício físico, tende a ficar molhada. E depois de úmida, ela perde sua eficiência e pode aumentar o problema do contágio. Diante disso, deve ser substituída imediatamente por uma máscara limpa. 

Diante dessas considerações, o exercício ao ar livre, com ou sem máscara, parece seguro somente se a premissa do distanciamento for mantida. Assim, caso haja outras pessoas caminhando ou correndo no mesmo local, fique a uma distância de pelo menos 5 metros e numa posição diagonal em relação a outra pessoa. Caso sua opção seja o ciclismo, quando realizado em pequena velocidade, dez metros de distância entre os indivíduos é o suficiente. 

Enfim, a possibilidade de contaminação é muito menor quando a pessoa caminha, corre ou anda de bicicleta em espaço aberto do que dentro de uma academia, por exemplo. No entanto, é mais seguro para saúde não praticar atividades físicas em locais com aglomeração de pessoas. Além disso, nas cidades e estados que as autoridades de saúde recomendarem a permanência em casa, não deixe de cumprir o isolamento. Ou seja, não saia para caminhar, correr ou pedalar. Exercite-se em casa! Mesmo que ainda não exista casos de COVID-19 em nossa Bambuí/MG, não significa que estamos protegidos. Pessoas podem ter contraído o vírus e não possuírem os sintomas. Se todos seguirem as recomendações, diminuiremos as chances de espalhar o coronavírus em nossa cidade. 

Qualquer que seja a sua escolha, deve ser adotado sempre em conjunto com os métodos de prevenção essenciais, como higienização das mãos e distanciamento físico. 

Em caso de dúvidas, estou à disposição para auxiliá-los por e-mail. Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Referências:

Organização Mundial de Saúde. WHO Director-General's opening remarks at the media briefing on COVID-19 - 5 June 2020. Disponível em: https://www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---5-june-2020. Acesso em:06/06/2020.

Organização Mundial de Saúde. The prolonged use of medical masks when properly worn, DOES NOT cause CO2 intoxication nor oxygen deficiency. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/myth-busters. Acesso em:06/06/2020.

Reynolds, Gretche. Exercising Outdoors With a Face Mask. The New York Times, 2020. Disponível em: https://www.nytimes.com/2020/04/10/well/move/coronavirus-exercise-outdoors-mask-running-cycling.html. Acesso em:06/06/2020.

Sequeira, Manuel. Devo usar máscara ao praticar exercício ao ar livre? Quais os riscos? Revista Atletismo. https://revistaatletismo.com/devo-usar-mascara-ao-praticar-exercicios-ao-ar-livre-quais-os-riscos/. Acesso em:06/06/2020.

Ramos, R. Faça atividades físicas, mas tenha alguns cuidados. IFMG, campus Bambuí. Disponível em: http://www.bambui.ifmg.edu.br/portal/ultimas-noticias/faca-atividades-fisicas-mas-tenha-alguns-cuidados. Acesso em:07/06/2020.

Bellovary, Bryanne N. et al. Effects of high-intensity interval training while using a breathing-restrictive mask compared to intermittent hypobaric hypoxia. Journal of Human Sport and Exercise, [S.l.], v. 14, n. 4, p. 821-833, dec. 2019. 

Lipman, G. S., et al. Study Looking at End Expiratory Pressure for Altitude Illness Decrease (SLEEP-AID). High Alt Med Biol. 2015;16(2):154‐161. doi:10.1089/ham.2014.1110

 

Profa. Regiane Ramos

Núcleo de Educação Física

Coord. Esporte e Lazer do IFMG - Campus Bambuí

 

Fonte: Profa. Regiane Ramos do IFMG - Campus Bambuí

Compartilhe:
registrado em:
Fim do conteúdo da página