Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Dia Internacional do Orgulho LGBT | 28 de Junho

  • Publicado: Terça, 28 de Junho de 2022, 08h04
  • Última atualização em Quinta, 30 de Junho de 2022, 07h54

Dia 28 de junho é comemorado mundialmente o dia do Orgulho LGBTQIAP+, data essa que se originou a partir do que veio a ser conhecido como revolta de Stonewall Inn. Batidas policiais eram frequentes em bares gay em Nova York, onde funcionários e frequentadores eram violentados e presos pelas autoridades locais. Contudo, numa manhã de junho de 1996 clientes e pessoas próximas ao local se voltaram contra o ato, gerando uma movimentação que durou dias, se estabelecendo então um marco pela luta dos direitos da comunidade LGBTQIAP+ no mundo.    

No Brasil ainda existe uma discussão enorme sobre o sentido do orgulho LGBTQIAP+ e das paradas. Neste ano de 2022, a de São Paulo ocorreu em sua 26ª edição e a de Belo horizonte ocorrerá em novembro em sua 23º edição. Orgulho segundo o dicionário Aurélio é “sentimento de prazer, de grande satisfação com o próprio valor, com a própria honra”.

A parada é um evento sócio-político-cultural, onde a comunidade LGBT procura dar visibilidade ao movimento pela luta por direitos humanos. Desta forma é impossível separar o que é festa do que é manifestação política, pois se trata de uma celebração para lembrar a população sobre todos os diretos obtidos por meio de muita luta e todos aqueles que ainda buscamos alcançar. Também é uma data para termos orgulho não somente de quem somos, mas orgulho de todas as batalhas vencidas, de cada passo dado contra o preconceito e a intolerância, de cada conquista e de cada espaço alcançado pela comunidade LGBTQIAP+ para (sobre)vivermos no nosso país.   

Lembrando que a comunidade LGBTQIAP+ não existe somente no mês de junho, todo o respeito e o direito à vida deve ser mantido durante cada segundo, de cada dia o ano todo.

 

28 de junho 1080 1080

 

Saiba mais: Revolta de Stonewall deu origem ao movimento atual pelos direitos LGBTQIAP+

 

Fonte: NEGeS/Coletivo Cores

 

Compartilhe:
registrado em:
Fim do conteúdo da página