milf threesome sex Anal creampie finale Skinny russian casting amateur My teacher sucking my cock opps xxx
Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Diversão e Conhecimento em Casa

  • Publicado: Terça, 24 de Março de 2020, 13h49
  • Última atualização em Segunda, 15 de Junho de 2020, 13h44

Diversão e Conhecimento em Casa

Nesse momento em que as aulas foram interrompidas, reforçamos que é muito importante permanecer em casa. Contudo, devemos ocupar o nosso tempo com atividades interessantes e que contribuam para manter a nossa saúde. Preparamos este material para que sejam atividades divertidas, interessantes e que ampliem o conhecimento.

Hoje vamos falar sobre o lazer:

Você sabia que o lazer é um direito social, previsto na nossa Constituição Federal de 1988, e também na Declaração Universal dos Direitos Humanos? Além disso, é também uma possibilidade de produção de cultura. Inúmeras atividades podem ampliar as nossas vivências de lazer, tornando essa experiência uma forma de diversão, de descanso, de desenvolvimento social e pessoal. Os interesses culturais do lazer envolvem: interesses físico-esportivos, artísticos, intelectuais, manuais, sociais, turísticos e virtuais. 

Exemplos de atividades que podemos fazer em casa:

Assistir filmes:

A dica de hoje é o filme Garrincha - Estrela solitária. Ao ver o filme é possível compreender um pouco mais sobre a nossa cultura e sobre a importância do futebol para o brasileiro. Reflita como um menino pobre que se tornou um grande gênio do futebol não conseguiu administrar sua vida pessoal. Quais foram os fatores que contribuíram para o êxito e para o fracasso de Garrincha? Acesse o filme em: https://www.youtube.com/watch?v=uPWXR1AA7Wg

Podemos também apreciar a arte e conhecer mais sobre os artistas e os movimentos artísticos:

Abaixo uma pintura de Cândido Poritinari, intitulada "Futebol em Brodósqui" de 1935. Retrata crianças pobres brincando de futebol no sertão! Qual a magia que esse jogo desperta nas pessoas? Dá para se divertir muito sem muitos recursos, contudo temos que problematizar por que o Brasil é um país tão desigual? Será que o futebol contribui para reforçar essas desigualdades?

Imagem futebol arte portinari

Para conhecer mais sobre Cândido Portinari acesse: http://www.museudapelada.com/resenha/futebol-arte-11

Outra possibilidade é... 

Ler crônicas e poesias:

Sermão da Planície (para não ser escutado)

– Bem-aventurados os que não entendem nem aspiram a entender de futebol, pois deles é o reino da tranquilidade.

– Bem-aventurados os que, por entenderem de futebol, não se expõem ao risco de assistir às partidas, pois não voltam com decepção ou enfarte.

– Bem-aventurados os que não têm paixão clubista, pois não sofrem de janeiro a janeiro, com apenas umas colherinhas de alegria a título de bálsamos, ou nem isto.

– Bem-aventurados os que não escalam, pois não terão suas mãos agravadas, seu sexo contestado e sua integridade física ameaçada, ao saírem do estádio.

– Bem-aventurados os que não são escalados, pois escapam de vaias, projéteis, contusões, fraturas, e mesmo da glória precária de um dia.

– Bem-aventurados os que não são cronistas esportivos, pois não carecem de explicar o inexplicável e racionalizar a loucura.

– Bem-aventurados os fotógrafos que trocaram a documentação do esporte pela dos desfiles de modas, pois não precisam gastar tempo infindável para fotografar o relâmpago de um gol.

– Bem-aventurados os fabricantes de bolas e chuteiras, que não recebem as primeiras na cara e segundas na virilha, como os atletas e os assistentes ocasionais das peladas.

– Bem-aventurados os que não conseguiram comprar televisão a cores a tempo de acompanhar a Copa do Mundo, pois, assistindo pelo aparelho do vizinho, sofrem sem pagar 20 prestações pelo sofrimento.

– Bem-aventurados os surdos, pois não os atinge o estrondo das bombas da vitória, que fabricam outros surdos, nem o matraquear dos locutores, carentes de exorcismo.

– Bem-aventurados os que não moram em ruas de torcida institucionalizada, ou em suas imediações, pois só recolhem 50% do barulho preparatório ou comemorativo.

– Bem-aventurados os cegos, pois lhes é poupado torturar-se com o espetáculo direto ou televisionado da marcação errada, que paralisa os campeões, ou do lance imprevisível, que lhes destrói a invencibilidade.

– Bem-aventurados os que nasceram, viveram e se foram antes de 1863, quando se codificaram as leis do futebol, pois escaparam dos tormentos da torcida, inclusive dos ataques cardíacos infligidos tanto pela derrota como pela vitória do time bem-amado.

– Bem-aventurados os que, entre a bola e botão, se contentaram com este, principalmente em camisa, pois se consolam mais facilmente de perder o botão da roupa do que o bicho da vitória.

– Bem-aventurados os que, na hora da partida internacional, conseguem ouvir a sonata de Albinoni, pois destes é o reino dos céus.

– Bem-aventurados os que não confundem a derrota do time da Lapônia pelo time da Terra do Fogo com a vitória nacional da Terra do Fogo sobre a Lapônia, pois a estes não visita o sentimento de guerra.

– Bem aventurados os que, depois de escutar este sermão, aplicarem todo o ardor infantil no peito maduro para desejar a vitória do selecionado brasileiro nesta e em todas as futuras Copas do Mundo, como faz o velho sermoneiro desencantado, mas torcedor assim mesmo, pois para o diabo vá a razão quando o futebol invade o coração.

Crônica (poema) de Carlos Drummond de Andrade no Jornal do Brasil em 18/6/1974

Na poesia acima quais os profissionais trabalham no futebol?

Como Carlos Drummond de Andrade enxerga o futebol?

Sugestão de Livro:

"Quando é dia de futebol" - Carlos Drummond de Andrade. Livro de poesias e crônicas sobre o futebol escritos pelo grande poeta da cultura brasileira.

Para finalizar esse primeiro número do "Diversão e Conhecimento em Casa", uma rica e interessante alternativa para movimentar o corpo e se divertir, criando inúmeras possibilidades de brincadeira e de movimento.

Vamos fazer bolas de meia?

Para muitas gerações a alternativa de construir o próprio brinquedo era a forma mais viável e estimulante para desencadear a criatividade, o imaginário e a fantasia.

Como fazer Bola de Meia:

Pegue uma meia e encha com espuma de enchimento ou algodão. Torça a meia e vire-a do avesso e assim sucessivamente até chegar ao fim da meia. Se preferir utilize a tesoura e corte a meia, utilizando diversas meias para fazer uma bola.

A bola de meia está pronta para ser utilizada…sente-se com o seu irmão mais novo, ou alguém da sua família, e brinque a atirar a bola! Incentive-o a usar a mão direita e depois a esquerda, um pé e depois o outro, sentados, em pé, etc, o importante é movimentar o corpo e se divertir, e claro, passar um tempo de qualidade juntos. Acesse também:  https://educamais.com/bola-de-meia/ e https://www.youtube.com/watch?v=jb-I2Pg5xmo

Invente a sua própria brincadeira ou jogo e compartilhe comigo o vídeo!

Divirta-se e amplie seu conhecimento com as atividades acima.

Mande sugestões, críticas e outras possibilidades de temas para desenvolvermos atividades em conjunto!

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Fonte: Prof. Rodrigo Moura e DIREC do IFMG - Campus Bambuí

 

Compartilhe:
registrado em:
Fim do conteúdo da página